QUAL A LOJA VIRTUAL INDICADA PARA O MEU NEGÓCIO - SERÁ O SEU PREÇO O FUNDAMENTAL

2017-06-18

Capítulo 2 (1ª parte - “Funcionalidades” da Loja Virtual)

A oferta de lojas virtuais ao dispor do empreendedor é bastante vasta, sendo que nem todas as opções disponíveis no mercado podem ser as mais indicadas para cada caso concreto. Ao iniciar a sua escolha o empreendedor deve atender a três premissas, e pela ordem que passo a enumerar: Funcionalidades; Segurança; e Preço. Sendo que quando se invertem a ordem das três premissas, e se coloca o factor “Preço” em primeiro lugar o que resulta é a escolha de uma loja virtual desadequada ao empreendedor e às circunstâncias concretas do seu negócio, hipotecando a perspectiva de sucesso no comércio online.

Se é verdade que o factor preço é uma premissa importante no mundo dos negócios, no entanto o preço só deve ser comparável entre dois bens similares, e para duas lojas virtuais serem similares temos de primeiro atender às funcionalidades que ambas oferecem, assim como às questões de segurança disponibilizadas.

Ao escolher a sua loja virtual, você está escolhendo a “base” do seu negócio online, onde vão estar interligadas todas as suas ferramentas de comunicação digital, numa óptica de “comunicação digital integrada”, revelando-se ser fundamental considerar e observar diversos aspectos essenciais.

É preciso não esquecer que cada negócio e cada empreendedor é um caso concreto, com a sua própria identidade. Assim como existem diversos níveis de produtos e serviços que devem ser apresentados diferentemente, também existem diversos níveis de empreendedores com maior ou menor formação de comunicação digital, que carecem de apoios distintos para colocar em funcionamento o seu comércio digital. Portanto uma determinada loja virtual, que poderá ser uma boa escolha para um empreendedor, pode não ser a melhor escolha para outro empreendedor, basicamente porque as funcionalidades da loja virtual se revelam desajustadas.

Factor “Funcionalidades” da Loja Virtual

O factor das funcionalidades da loja virtual deverá ser o primeiro filtro que o empreendedor deve utilizar no processo de escolha da sua loja virtual, evitando adquirir algo desadequado ou que não tenha condições para utilizar. As funcionalidades que o empreendedor deve observar não se devem reduzir às características visíveis da loja virtual, como por exemplo o seu design e campos disponíveis, mas essencialmente deve atender às funcionalidades não visíveis no imediato, como por exemplo a assistência na sua utilização e operacionalidade.

- Requisitos legais do e-commerce - Esta deve ser a primeira funcionalidade à qual o empreendedor deve atender na hora de escolher a sua loja virtual. Verificar se existem campos destinados a colocar todas as “Informações e trâmites obrigatórios” acerca do seu negócio assim como dos bens que vai transaccionar online. Concluindo: elimine das suas opções de escolha as lojas virtuais onde não for possível cumprir com toda a legalidade exigida, não facilite, as multas são pesadas, e existem muitas opções legais a bom preço.

- A colocação online da Loja Virtual - Pode parecer irrelevante, e até pensar que por parecer fácil não precisará de ninguém para o ajudar, no entanto é relevante na demonstração do apoio que terá quando algo correr mal… E acredite, alguma dificuldade vai sempre suceder, é como por exemplo quando se troca de telemóvel, o óbvio e fácil nas operações de rotina no início trazem por vezes grandes complicações. Concluindo: evite contratar lojas virtuais onde seja da sua responsabilidade a colocação online da plataforma.

- Indexação da loja Virtual a motores de busca - Indexar ou submeter a nova loja virtual aos principais motores de busca é fundamental para que a sua loja online possa fazer parte dos resultados nas “listagens orgânicas” (gratuitas) dos motores de busca. O facto de não ser feita esta submissão da nova loja aos motores de busca faz com que ela demore muito mais tempo a ser reconhecida, com prejuízo claro no resultado final pretendido, que é ser encontrado e efectuar vendas online, ou como consequência obrigando o empreendedor a socorrer-se das ”listagens pagas ao click” (anúncios-adwords) investindo centenas de euros mensais. Esta é uma das principais razões de existência das “lojas virtuais gratuitas”, ou seja, são gratuitas na adesão, mas são pagas para aparecerem nos motores de busca, pois carecem de apoio técnico e só aparecem nos motores de busca através de campanhas de anúncios-adwords, que são pagos ao click. Concluindo: a indexação é indispensável e aconselhável ser feita por um webmaster, portanto rejeite ofertas de lojas online que não contemplem este serviço personalizado.

- SEO - Otimização básica - O serviço de “otimização de resultados” para motores de busca pode ser considerado um serviço complementar à “indexação”, pois se a indexação vai fazer os motores de busca reconhecerem a existência de determinada loja virtual, a “otimização” vai fazer os motores de busca aceitarem a credibilidade dessa mesma loja virtual para termos importantes nas pesquisas online, passando a referida loja virtual a aparecer nos primeiros lugares das listagens de resultados orgânicos (sem pagamento de clicks). Um exemplo de otimização é determinado restaurante que confecciona pizzas em Lisboa, ser encontrado por “pizzarias lisboa” . Este é um serviço que também carece da intervenção de um experiente webmaster, e é sem dúvida a melhor opção para o empreendedor que pretende ser bem sucedido no comércio online. Concluindo: se ambiciona ter sucesso nas vendas online, rejeite ofertas que não contemplem a possibilidade de contratar este serviço adicional.

- Assistência e manutenção - Este serviço é fundamental para que você só tenha de se preocupar com aquilo em que você é “realmente bom”, o seu negócio. O “tempo” em que o ser humano tinha de saber fazer tudo para sobreviver já passou, vivemos na “era da especialização”, e o empreendedor sabe que sai mais económico contratar especialistas, do que entregar os assuntos a curiosos. Se quando compramos um electrodoméstico ou um automóvel a principal preocupação é a assistência técnica, porque razão não deve ser esta também a grande preocupação quando escolhemos a principal “base do nosso comércio online”. Concluindo: o serviço de assistência e manutenção é essencial, rejeite liminarmente ofertas que o querem convencer de que você o fará tão bem como um especialista.

- Utilização do Backoffice - O “backoffice” vai ser a sua ferramenta diária de inserção de produtos e informação, por isso ele terá de ser intuitivo e de fácil utilização. O “backoffice” de controle e edição de conteúdos da loja virtual não pode ser uma “consola de programação” de funcionalidades da loja virtual, com linguagens e opções “destinadas a experts” da comunicação digital e do e-commerce . Concluindo: rejeite ofertas de lojas virtuais onde o backoffice mais parece uma ferramenta de programação para webmasters, pois só revela que ninguém o vai apoiar e você vai estar sozinho por sua conta e risco.

- Google Analytics - Esta é a ferramenta ideal para o empreendedor poder saber como se comporta o seu negócio online, quem visita a sua loja, de onde são os visitantes da sua loja, quando visitam a sua loja, quando voltaram a visitar a sua loja, e o que procuram. É fundamental analisar qualitativamente o tráfego da loja online, se é verdade que é bom ter uma loja online com bastante tráfego, melhor mesmo é que faça muitas vendas. Nem sempre o muito tráfego significa muito negócio, e com o Google Analytics podemos verificar quase tudo o que se passa na sua loja virtual, nomeadamente onde ocorrem maiores entradas na loja, e onde se verificam as maiores saídas (taxa de rejeições). Com base nas diversas análises que se podem retirar desta ferramenta, o empreendedor poderá por exemplo corrigir os produtos a colocar na sua loja virtual, se a sua loja virtual é uma óptica, e tem 200 armações de óculos e 10 óculos de sol, e das entradas na loja virtual 60% procuram óculos de sol, será fácil concluir que o empreendedor deverá aumentar a oferta de óculos de sol na sua loja virtual.

- Tradução automática para as principais línguas - O comércio online é global, e a mobilidade das pessoas cada vez maior, hoje em dia é vulgar mesmo numa pequena cidade haver uma população significativa oriunda de diversos países e falando diversas idiomas, portanto é fundamental que a loja virtual do empreendedor esteja preparada para fazer a tradução automática para os principais idiomas, evitando desta forma que o empreendedor tenha de saber escrever correctamente todos os idiomas

- Personalização da loja Virtual - A loja virtual pretende-se que seja a “extensão online” do negócio do empreendedor, portanto terá de haver uma associação e transmissão clara da sua imagem de marca. É preciso não esquecer que um dos “grandes segredos do sucesso nas vendas online” é justamente o “Omnicanal”, portanto o empreendedor terá de se assegurar que quem os visitantes da loja virtual, quer sejam clientes habituais do seu negócio offline, ou clientes exclusivos do seu negócio online, facilmente identificam o seu negócio.

- Número de categorias, subcategorias, e produtos - Nem sempre uma loja com muitos produtos significa muitas vendas, o empreendedor ao escolher a sua loja virtual deverá fazer o exercício de pensar quantos, e quais os produtos que deve iniciar no seu comércio online. O fundamental será contratar uma loja virtual que lhe confere a possibilidade de ser ampliada à medida das suas necessidades.

- Conteúdos que se pode adicionar - banners, vídeos, descrição empresa - Quando se fala de uma loja virtual não podemos pensar só nos “espaços onde se colocam os produtos”, o empreendedor ao escolher a sua loja virtual deve ter em atenção que é fundamental ter uma página devidamente identificada sobre a sua empresa, outra página de fácil acesso com todos os seus contactos, e ainda outra página independente com os termos e condições, assim como espaços centrais destinados a colocar banners publicitários e campanhas, e espaço para colocar vídeos.

- Links e partilhas para as outras ferramentas de comunicação digital - Sendo a loja virtual a “base” do seu negócio online, todas as suas ferramentas de comunicação digital devem estar interligadas, numa óptica de “comunicação digital integrada”. Deve portanto o empreendedor no momento da escolha da loja virtual optar por soluções que lhe facilite a integração e partilha da loja com as restantes ferramentas de comunicação digital.

Publicação do próximo artigo: 25 de Junho de 2017
" Capítulo 2 (2ª parte - Segurança e Preço da Loja Virtual)
Qual a Loja Virtual indicada para o seu negócio"

Fonte:
Departamento de Investigação de Tecnologias de Comunicação Digital da Windbyinternet - Comunicação e Publicidade Digital lda

Consulte-nos em http://www.windbyinternet.pt/
Envie suas duvidas para: marketing@windbyinternet.pt
ou siga o curso em : https://www.facebook.com/shoppingonline.pt/

Online vai crescer, mas como complemento da visita às lojas físicas
Rapidez e conveniência são os grandes drivers do consumidor que não quer perder muito tempo a fazer as suas compras. O comércio online está em crescendo em Portugal....

Boas notícias para quem compra online: deputados europeus votam fim do geoblocking
As regras que defendem as mesmas condições de aquisição em toda a UE, independentemente do local onde o ciberconsumidor esteja, vão ser votadas na próxima terça-feira, dia...

Comércio online explode e pressiona empresas de logística
Os portugueses estão a usar cada vez mais as plataformas online para fazer compras e neste Natal isso traduz-se em crescimentos de 15% a 17%, aumentando a pressão sobre as...

Comércio tradicional do Porto aumenta vendas de Natal entre 15 a 20% face a 2016
As vendas no comércio tradicional do Porto aumentaram entre 15 a 20% nesta época natalícia em comparação com 2016, ajudadas pelas vendas ‘online’, feriados de 01 e 08 de...

Número de shoppings nos EUA está diminuindo com vendas online
As vendas online cresceram em um ritmo três vezes maior que as compras em lojas tradicionais. Nos Estados Unidos também tem correria, no comércio. Mas, no país que é...

UE facilita comércio electrónico na Europa
As novas regras referentes ao “geoblocking” vão ajudar a quebrar barreiras no âmbito da adopção das compras online na União Europeia e trazer novos desafios às...

Vendas online batem recordes nos Estados Unidos na ‘Black Friday’ e no ‘Thanksgiving’
Os consumidores gastaram no setor do retalho norte-americano 7900 milhões de dólares de acordo com os dados da Adobe Analytics. A expetativa é que na Cyber Monday se atinja...

Brasil e Portugal assinam acordo para ampliar e-commerce entre países
Parceria deve diminuir tempo médio para entrega de encomendas registradas de 40 dias úteis para 12 dias após liberação pela Alfândega. Brasil e Portugal assinaram nesta...

Metade das compras 'online' nacionais são feitas em retalhistas que operam em Portugal
Metade das compras na Internet feitas em Portugal é realizada em retalhistas que operam no mercado português e um quinto em entidades que operam na Europa, de acordo com um...